Dificuldades no acesso à internet e na adaptação às aulas remotas desafiam candidatos do Enem 2020

Além de provocar mudanças de toda ordem no mundo inteiro, a pandemia da Covid-19 também veio elevar o grau de dificuldade do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020

Sobretudo, para os alunos que não se adaptaram ao formato de aulas online ou que não tiveram recursos financeiros suficientes para acessar uma internet de boa qualidade. 

Dados baseados em pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que 94.204 crianças e adolescentes, de seis a 17 anos, não tiveram acesso a atividades remotas no Ceará.

Matriculado em escolas públicas do Estado, esse contingente não teve acesso a aulas e exercícios no mês de julho, excluindo aqueles de férias.

"Se chover, a internet cai"

Com maioria das aulas presenciais suspensas, desde março, alunos cearenses têm feito o que podem para superar diariamente as desigualdades de acesso.

"É bem complicado em relação à internet e energia no interior. Se chover, a internet cai. A energia também é muito instável; às vezes, ela cai do nada", relata Gabriela Ferreira Matos, de 17 anos.

Aluna do 3º ano do ensino médio em uma escola pública do bairro Jardim América, em Fortaleza, a jovem foi visitar a mãe no município de Ocara, onde se viu obrigada a permanecer devido ao aumento no número de casos do coronavírus na capital. 

Sem computador e com o celular quebrado, a saída foi usar o aparelho da mãe. A depender da prioridade do dia, ambas definem se o celular fica com Gabriela para os estudos ou com a mãe para o trabalho. A adaptação, portanto, foi "bastante complicada".

"Eu não sabia o que fazer e aí começava a ficar desesperada. 'Meu Deus, o que vou fazer?, não vou conseguir assistir aula, não vou conseguir passar, vai vir o Enem e não sei o que vou fazer da minha vida agora'”, rememora Gabriela.

"É horrível, sabe?"

Apesar de estar matriculada em uma escola particular de Fortaleza e ter a possibilidade de acompanhar as aulas remotas pelo próprio notebook, Maria Ilza Cidrão Rocha, 17, não ficou imune às dificuldades.

Assim como Gabriela, a jovem também decidiu se refugiar no Interior pra se proteger da pandemia. Mais precisamente na cidade de Tauá, onde a família mora.

“A internet daqui é horrível. Eu assisto aula pelo notebook, mas se muita gente estiver usando mesmo [que seja] o celular perto de mim, a internet cai. Se dá um vento, cai. É horrível, sabe?".

Confira a entrevista completa no poscast "Isso Não Cai no Enem", uma produção do EducaLab, com realização do Sistema Verdes Mares. 

O que são podcasts?

O podcast é um material entregue na forma de áudio, muito semelhante a um rádio, porém a diferença é que este conteúdo fica disponível para que o ouvinte escute quando e onde quiser. Não é um programa ao vivo, os conteúdos dos podcasts são produzidos sob demanda.

Diário do Nordeste

-

Esportes

Arão vai de herói a vilão, e Racing elimina o Flamengo da Libertadores nos pênaltis

Esportes

Athletico perde para o River Plate com gol de pênalti e diz adeus à Libertadores
© 2020. Catolé News. Todos os direitos reservados