Suspeito de matar mestre de capoeira após discussão política tem prisão preventiva decretada

Após audiência de custódia realizada na tarde desta terça-feira (9), a Justiça decretou a prisão preventiva de Paulo Sérgio Ferreira de Santana, de 36 anos, suspeito de matar o mestre de capoeira Moa do Katendê, durante uma discussão política na madrugada de segunda-feira (8).

 

A decisão foi do juiz Horácio Pinheiro. Agora, o suspeito será encaminhado para o sistema prisional, onde vai aguardar o julgamento.

 

Romualdo Rosário da Costa, mais conhecido como mestre Moa, de 63 anos foi esfaqueado após dizer ao suspeito do crime, que era contra o candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) e que tinha votado no PT. Paulo foi preso e confessou o crime.

 

O primo da vítima, Germínio do Amor Divino Pereira, 51 anos, que ficou ferido no mesmo ataque, teve alta nesta terça-feira, e contou como o crime aconteceu.

 

O compositor, dançarino capoeirista, ogã-percussionista, artesão e educador na propagação da cultura afro-brasileira completaria 64 de vida no dia 29 de outubro.

 

O músico baiano Gilberto Gil usou as redes sociais nesta terça-feira para homenagear a vítima. O cantor destacou em uma publicação pelo Instagram, a contribuição cultural do capoeirista para o estado e outros legados.

 

Na segunda-feira, os cantores Caetano Veloso e Daniela Mercury também fizeram homenagens ao mestre de capoeira.

 

G1

-

Brasil

Assassinados no distrito de Mosqueiro, em Belém, são ex-marido e ex-sogra da cabo Maria Fátima

Brasil

Defesa de Temer pede ao STF anulação de indiciamento promovido pela PF
© 2018. Catolé News. Todos os direitos reservados