Morre aos 95 anos o eterno caminhoneiro Antônio Medeiros ‘O Rei da Historieta Improvisada’

Morreu no início da noite desta quarta-feira (09 de janeiro), Antônio Medeiros, o eterno caminhoneiro, que virou lenda pelas estradas brasileiras, e se tornou famoso pelos seus contos, causas e histórias, que lhe rendeu o título de ‘O Rei da Historieta Improvisada’.

 

O velho lobo das estradas nos deixou aos 95 anos, 08 meses e 25 dias, vítima de um enfarte, quando estava em sua casa, no Centro de Catolé do Rocha, Sertão da Paraíba.

 

O corpo de Antônio Medeiros está sendo velado na residência dele, localizado a Rua Manoel Alves Maia, próximo ao Centro Estudantil de Cultura Geraldo Vandré. A missa de corpo presente será celebrada às 16h, na Capela do Colégio Normal Francisca Mendes, e em seguida o sepultamento no Cemitério Frei Damião de Bozzano, em Catolé do Rocha (PB).

 

Humberto Vital com Antônio Medeiros, durante entrevista no Catolé News,  na Rádio Cidade 104 FM, em 13 de abril de 2013, dia em que o mestre celebrava 90 anos de vida - Foto: Yohan Vital

 

Histórico de Antônio Medeiros

 

O mais conhecido e famoso dos caminhoneiros nordestino, Antônio Medeiros, partiu para o andar de cima nesta quarta (09), mais ficará eternizado pela alegria e genial forma de criar repentinamente uma história que levava os amigos as gargalhadas. 

 

Medeiros viveu quase 96 anos de vida, muitos deles vivenciados dentro da boleia de um caminhão, ou mesmo nas rodas de conversas em pátios de postos de combustíveis ou botecos, espalhados por este país afora.

 

Nascido em São José de Espinharas, na região de Patos, Sertão da Paraíba, em 16 de abril de 1923, Antônio Medeiros adotou Catolé do Rocha como terra mãe. Aqui se casou e criou a família.

 

Mas foi rodando nas estradas por este Brasil afora que o velho lobo fez história. Sempre fazendo amigos e dando vida as suas historietas improvisadas, que Medeiros ficou eternizado.

 

Ao mesmo tempo em que percorria o país conduzindo caminhão e gerando progresso sob quatro rodas, o velho lobo das estradas fazia amizades e irmãos.

 

Contando uma historieta ao compadre Auderi, inesquecível festa do Caminhoneiro, em 05 de maio de 2012 - Foto: Catolé News

 

Uma destas, a que certamente rendeu uma parceria para a criação e denominação de inúmeras historietas criadas por eles, este parceiro inseparáveis das longas viagens é o seu Auderi Fernandes, caminhoneiro de Brejo do Cruz (PB), ou como ele bem dizia ‘o meu compadre Auderi’.

 

Mais velho do que o parceiro, Antônio Medeiros nunca deixou de admirá-lo e reconhecer a importância de Auderi para a composição de suas historietas, e, diga-se de passagem, que a recíproca foi sempre verdadeira.

 

O Portal Catolé News, através do radialista Humberto Vital e o Cantinho da Seresta, de Edivan Seresteiro, idealizaram a Festa do Caminhoneiro de Catolé do Rocha (PB), justamente para homenagear, através de Antônio Medeiros, todos aqueles que foram agraciados com a dádiva de ser um motorista, ou chover de caminhão.

 

Uma foto histórica mostra Antônio Medeiros, um colega e depois Auderi de Brejo do Cruz ao lados dos imortáis caminhoes Mercedez Benz - Foto:Arquivo da Família de Seu Auderi Fernandes 

 

CATOLÉ NEWS

-

Paraíba

Presidente da Fiep-PB Buega Gadelha é preso em Brasília pela Polícia Federal

Catolé e Região

Confira os trabalhos da Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Catolé do Rocha desta segunda-feira
© 2019. Catolé News. Todos os direitos reservados