Catoleense Cristiano Diniz celebra 100 ANOS DE VIDA ainda lúcidos e com muitas histórias para contar

Nesta sexta-feira (08 de fevereiro) mais um catoleense quebrou a barreira dos 100 anos, e festejou com a família uma marca histórica. Cristiano Diniz, ainda bastante lúcido, com as vistas boas e ouvido bem aguçado, teve o privilégio de festejar o seu centenário de vida, ainda casado com a mesma mulher, Dona Alda (99 anos), e ladeado por filhos, noras, genros, netos e bisnetos.

Cristiano Soares Diniz nasceu no dia 08 de fevereiro de 1919 (um sábado), na comunidade Boqueirão, zona rural leste de Catolé do Rocha, Sertão da Paraíba. Filho de Raimundo Soares Diniz e Dona Maria Diniz. Perdeu o pai aos 08 anos, e a partir daí foi morar com o padrasto, Vicente Ferreira, mais conhecido por Vicente Mestre.

Na adolescência, como todos os meninos de sua geração, teve que trabalhar na agricultura, mas contra a sua vontade, pois segundo ele, jamais gostou da lida no roçado. Por este motivo, procurou logo apreender outra profissão, e és que o agricultor Cristiano virou barbeiro, como era denominada naquele tempo, a pessoa que tinha o ofício de cortar cabelo.

Na profissão de barbeiro trabalhou por 20 anos, e se orgulha de nesse período, pois conseguiu juntar um dinheirinho e comprar cinco casas na zona urbana de Catolé do Rocha. “Eu trabalhava cortando cabelo num pavilhão que ficava dentro do antigo Mercado Público Municipal. Éramos de sete a oito barbeiros atendendo a clientela, e nos 20 anos que passei nessa profissão, através de muito trabalho e controle nas finanças, consegui comprar cinco casinhas”, relembra Cristiano.

Nesse mesmo período, no auge dos seus 26 anos, Cristiano Diniz conheceu Alda Alves Guedes, uma moça catoleense, natural do sítio Brejinho, um ano mais nova do que ele, e daí nasceu o amor que culminou com o enlace matrimonial, no mês de agosto de 1945.

“Conheci Alda durante uma ‘Festa de Rua’ aqui em Catolé, então nós controlamos um namoro que terminou em casamento. E que casamento, pois nós estamos casados a mais de 73 anos, e tenho lembrança de que nesse tempo todo vivendo juntos nunca briguei com ela, e vice-versa”, disse.

De acordo com Seu Cristiano, Deus lhe deu o tino para o comércio, e ele não desperdiçou nenhuma oportunidade que a vida lhe confiou, pois mesmo trabalhando no salão de barbeiro, colocou uma loja de calçados, que a época era conhecida como sapataria. “Fundei minha sapataria, uma lojinha que vendia calçados, chapéus e outras coisas do gênero. Inicialmente ficava localizada à Rua Coronel Francisco Maia, ao lado de onde é hoje a Relojoaria São Francisco, e mais tarde mudamos para um ponto comercial que comprei, na mesma rua, bem em frente ao Banco do Brasil, onde trabalhei até me aposentar”, disse ele.

Como dissemos anteriormente, Cristiano Diniz e Alda Guedes estão casados a mais de 73 anos, e dessa união gerou uma prole de 08 filhos, sendo que uma menina morreu ainda bebê, e outro (DUDÉ) faleceu aos 57 anos. Os filhos vivos são: Chiquinho, Damaris, Ronaldo, Inalda, Alda Maria e Joaquim Neto (Netinho). O casal Cristiano e Alda tem 14 netos e 09 bisnetos.

Quando lhe perguntei sobre a sua convivência com a política catoleense ao longo de um século de vida, ele sorriu e foi enfático na resposta. “Votei no partido da ARENA por muitos anos, acompanhava José Sérgio e João Agripino, há meu ver, foram dois grandes políticos. Mas com a morte deles, passei a votar em Doutor Leomar”, pontuou.

Quando tinha 87 anos de idade, Seu Cristiano descobriu que tava com problemas de saúde, e foi diagnosticada uma cardiopatia, então ele teve que ser submetido a uma cirurgia de revascularização do miocárdio (ponte de safena e mamária). “Pensei que não passaria daquela, mais Deus permitiu que eu seguisse minha caminhada aqui na terra”, falou emocionado.

Cristiano Diniz era primo em primeiro grau, e também irmão de criação de João de Isaac, para ele um homem muito inteligente, e mais tarde descobriu que era irmão de Rui Sapateiro. Entre tantos amigos que fez durante esse século de vida, nossa reportagem conseguiu presenciar um abraço fraterno de Seu Heleno dos Correios, com quem compartilha uma amizade de longas datas.

Perguntado sobre sua religiosidade, o aniversariante foi convicto em sua resposta: “Sou evangélico, creio em Jesus Cristo como único salvador, e acredito em tudo que está escrito na Bíblia Sagrada”, disse.

Notadamente, ao final da minha conversa com Seu Cristiano, a emoção e a alegria me tomaram por completo, pois se vimos que a longevidade é uma das grandes obsessões do ser humano, e continua sendo um desafio constantemente enfrentado pela medicina e pela ciência, para seu Cristiano Soares Diniz os 100 anos aconteceu com naturalidade, embora ele não acreditasse chegar a tanto.

“Nunca imaginei chegar aos 100 anos de vida, mais já que eu cheguei, rogo a Deus que me conceda mais alguns anos de vida, pois viver é bom demais”, finalizou o aniversariante.

CATOLÉ NEWS | POR HUMBERTO VITAL

-

Giro de Notícias

Polícia encontra 65 kg de maconha e cocaína, armas e explosivos em depósito de Campina Grande

Política

Hervázio diz que Carlos Siqueira se precipitou e aponta Cida e Estela como causadoras da discórdia no PSB
© 2019. Catolé News. Todos os direitos reservados