Mandante do assassinato de empresário Cláudio Arruda é condenado a 22 anos de prisão

A Justiça condenou a 22 anos de prisão Moisés Cordeiro, pelo crime de homicídio qualificado, por ter mandado executar com requintes de crueldade, impossibilidade de defesa e motivo torpe o empresário Cláudio Arruda.

Graças ao belíssimo trabalho da Polícia Civil e do Ministério Público, através do Promotor Alexandre Varandas e dos assistentes de acusação Antônio Navarro, Marbele e Fábio Arruda, a Justiça foi feita.

A decisão foi unânime pela condenação por 7 votos a 0 em audiência realizada nesta segunda-feira (07) no fórum criminal, em João Pessoa.

O executor Igor já havia sido condenado a 21 anos, por ter efetivado os disparos que ceifaram a vida de Cláudio Arruda, contudo, ainda havia de ser julgado o mandante do crime.

Através de uma acusação pautada na verdade processual, o promotor de justiça e seus assistentes, conseguiram com maestria demonstrar a verdade real dos fatos, trazendo robusta técnica formada pelas provas existentes, dando conta com detalhes todo o enredo da trama que levou ao fim da vida da vítima.

“Assim, há de se comemorar a JUSTIÇA feita através do conselho de sentença do 2° Tribunal do Júri Popular da Capital, que com unanimidade dos votos, fizeram Justiça. Agradeço a toda imprensa, pela cobertura de todo o ocorrido do dia do crime aos julgamentos”, disse Fábio Arruda, irmão da vítima.

-

Política

Jair Bolsonaro suspende indicação de Eduardo para embaixada dos EUA

Política

STF encerra 1º dia de julgamento sobre prisão em segunda instância
© 2019. Catolé News. Todos os direitos reservados