Catolé News

Entrevista da Semana

8 de Novembro de 2015 Humberto Vital - 1251 pessoas já leram.


Jorginho quer São Januário lotado: "Eles têm que se sentir incomodados"

A segunda vitória fora de casa no Brasileiro - o time venceu clássicos como visitante contra Fluminense e Flamengo - deixou o treinador Jorginho orgulhoso. A dois pontos para sair zona de rebaixamento, o Vasco que venceu o Palmeiras por 2 a 0, em São Paulo, foi um time repleto de boas atuações na opinião do treinador. Ele citou Diguinho, Serginho, Riascos, Nenê e Rafael Silva, mas pelo entusiasmo poderia falar do time todo. O próximo passo é contra o Corinthians, favoritíssimo para conquistar o título brasileiro. Um desafio à medida da ambição que Jorginho almeja para o fim do campeonato: o sonho de escapar da queda para a Segundona.

 

O técnico fez questão de elogiar o Corinthians. Disse que o time de Tite seria perigoso mesmo se já chegasse campeão, mas avisou que São Januário é a casa do Vasco. A 11 dias do confronto, o técnico começou a convocar a torcida vascaína já. Logo na coletiva de imprensa após o resultado positivo na Arena Palmeiras.

 

- Não faz diferença (Corinthians campeão ou não). O que faz diferença é que vamos jogar na nossa casa. O Corinthians sempre é uma equipe perigosíssima. É um time qualificado demais, tem um plantel maravilhoso. O Tite é um dos melhores treinadores do futebol mundial hoje, mas o mais importante é que voltamos a jogar bem, voltamos a fazer gol com a bola rolando e vamos voltar para nossa casa. Vamos voltar para São Januário, com um campo melhor, temos que lotar a nossa casa e eles (Corinthians) têm que se sentir incomodados - disse Jorginho.

 

Os gols no primeiro tempo, marcados por Rafael Silva e Nenê, foram cruciais para encaminhar o triunfo e fazer o Cruz-Maltino continuar respirando na tabela.

 

- Acho que conseguimos segurar o ímpeto deles. Sabíamos do potencial da equipe deles. Eles procuram jogar para o lado, para forçar a marcação e fazer pressão, mas conseguimos ultrapassar isso. Como costumo dizer, um gol muda completamente o rumo da partida, mas estávamos muito bem, muito atentos a penetração dos homens de lado, de velocidade deles. O Gabriel Jesus é um jogador muito agudo, de muita qualidade, e tivemos preocupação do que acontecia com as bolas lançadas principalmente para o Rafael Marques e também para a segunda bola. Conseguimos um excelente resultado - analisou Jorginho.

 

O Vasco deixou a lanterna do Campeonato Brasileiro e foi para a penúltima posição, com 33 pontos, dois a menos do que o Avaí, primeiro colocado fora da zona de rebaixamento. O próximo jogo do Cruz-Maltino, dia 19, uma quinta-feira, é contra o ainda não campeão Corinthians. A partida será realizada em São Januário, às 22h (de Brasília).  
 

Confira outros tópicos da entrevista coletiva de Jorginho:

 

Jorginho e Zinho Vasco X Palmeiras (Foto: Marcos Ribolli)

Jorginho e Zinho na vitória sobre o Palmeiras (Foto: Marcos Ribolli) 

 

Ataque com Rafael Silva e Riascos 

Acho que a gente ganhou bastante mobilidade com o Rafael Silva e o Riascos na frente, mas o meio também foi bem efetivo. Diguinho e Serginho fizeram grande partida defensivamente, mas também ofensivamente, chegando com qualidade, mantendo a posse de bola. Isso contribuiu para que tivéssemos oportunidades. Fico feliz de conquistar essa vitória. É uma situação que sempre quis ficar, muito próximo da saída da zona de rebaixamento.

 

Vitória foi tranquila? 

Tranquila nunca foi, mesmo com 2 a 0, torcendo para não sair 3 a 0 no primeiro tempo pra não relembrar nada do passado, porque a questão psicológica é fundamental nesse momento (risos). Então, a coisa ficou no 2 a 0, o importante é que tivemos consistência, a equipe marcou muito bem, jogando no losango, mas com criatividade, marcando laterais, jogando pelos lados com profundidade. Time muito atento. Quando você vê o Riascos saindo com câimbras, se entregando nesse momento, a tática fica mais de lado, passa a atuar mais com a atitude e o coração.

 

O que fazer para continuar assim?

Continuar organizado taticamente. Todos os jogos que fizemos bem, mantivemos isso. E manter sangue nos olhos. Não podemos deixar passar essa oportunidade. Tem ponto que não podemos recuperar, mas nos últimos quatro jogos vamos entrar muito concentrados e atentos, fazendo aquilo que precisamos para vencer essas partidas.

 

Entrega do Nenê

Quero relatar a gratidão que falei para o nosso médico. O Doutor Albino disse que bancava a situação, que poderia. Nós pensamos em tirar para não estourar o músculo. Pelos jogos que temos pela frente, pensamos em tirar o Nenê. Ele é fundamental, consegue colocar o companheiro em situação bem favorável de gol, define também.

 

Foi um jogo perfeito? 

Não foi perfeito, deixamos momentos de sobra em cima do Madson. Serginho ficou sobrecarregado, e acabou o Egídio vindo sozinho. Isso aconteceu um pouco, eu não queria que acontecesse, mas a equipe foi muito eficiente em todos os momentos. 

 

Jorginho e Zinho Vasco X Palmeiras (Foto: Marcos Ribolli)

Jorginho e Zinho chegando ao campo na Arena Palmeiras (Foto: Marcos Ribolli) 

 

O que conversaram antes do jogo? 

A gente conversou basicamente do que precisava fazer, bolas paradas ofensivamente e defensivamente. Conversamos sobre a importância desse jogo, organização tática. E também o coração, acreditar em todas as bolas. A dividida tinha que ser nossa. É muito bom vê-los vibrando. Diguinho no fim, vibrando ali, próximo de mim. Temos usados frases no final. Hoje falei do sonho e da ação. O sonho tira do lugar que se encontra, te dá objetivo, mas a ação é que determina o que vai alcançar. Torcedor precisa estar junto. Temos um jogo importantíssimo na nossa casa, temos que lotar o estádio, fazer com que o time se sinta amado.

 

Contas

Agora acho que temos dois pontos para quem está fora. Só vamos conseguir relaxar mesmo depois do dia 6 e dezembro. 

 

E se conseguir escapar?

Se conseguir, não digo volta olímpica, mas vai ser uma alegria muito grande. Esse grupo entendeu isso, que era possível sonhar, acreditar nessa situação. Acreditaram, com empenho, dedicação, todo mundo unido, rouparia, massagista, desde o porteiro que nos recebe. Tenho pedido para que eles recebam com alegria e sorriso.

 

Tempo até o jogo

Importante poder recuperar alguns jogadores. Nenê ficou sentindo um pouco de dor no posterior da coxa. Conseguimos ter mais tempo e tranquilidade. Voltar para São Januário com o campo melhor. Nos preocupamos com isso. Temos que fazer a nossa casa, lugar onde o adversário se sinta incomodado. 

 

Preparação física

É bom lembrar do Nenê; Sempre nos últimos cinco jogos, deixamos a vitória escapar, e foi questionada a parte física. Temos excelentes preparadores, o Joelton tem feito trabalho brilhante, e o Nenê é prova disso. Quando vai chegando o fim do jogo, ele não quer sair, quer permanecer em campo, fisicamente pronto para isso. Equipe está muito bem. Os velhinhos estão bem. Júlio César chegou no final do jogo muito bem. Nenê com 34 para 35. Rodrigo correndo igual garotol Tudo depende da carga de trabalho que damos para eles. Nenê hoje traz temperatura dentro do jogo, aquele cérebro da equipe, que consegue fazer com que seja veloz. Carregando ou tocando, ou esfriando o jogo. Jogador fundamental. Muito feliz de contar com ele.  

 

Por 

Globoesporte.com / São Paulo 



-

Outras Notícias

Giro da Notícia

Catolé News - O portal que dá notícias da nossa gente!
Rua José Bonifácio, 34 1º Andar Bairro do Batalhão - Catolé do Rocha Paraíba
Telefone: (83) 8851.1734 - 9642.0101
E-mail: catolenews@gmail.com