Unipê inicia “demissão em massa” de professores após venda ao Grupo Cruzeiro do Sul

O grupo de ensino superior Cruzeiro do Sul começou hoje uma "demissão em massa" no seu quadro de professores da Faculdade Unipê em João Pessoa. Uma professora demitida que preferiu não se identificar afirmou que, a Universidade convive com a descontinuidade desde que a transação de venda do Unipê foi anunciada.

Para o professor Alexandre Belo, um dos professores mais queridos do Curso de Direito, já há 14 anos lecionando naquela faculdade, a notícia da sua demissão foi surpreendente: “Não é comum ser demitido em pleno gozo de férias. Acho que como o Unipê virou uma empresa LTDA, esse reenquadramento nada mais seja que trocar mão de obra qualificada por uma mais barata” sentenciou o professor.

Outro demitido foi o professor Afrânio Melo, ex-presidente da OAB e fundador do Curso de Direito do UniPê. Melo mostrou-se magoado com a forma que recebeu a notícia da demissão, mas disse que cumpriu com diletantismo esses 36 anos como educador: “Não tenho mais nada a dizer. A empresa que justifique aos meus queridos alunos. Cumpri meu dever e não precisava passar por isso depois de tanto tempo ensinando”, desabafou o professor de Direito do Trabalho.

Claudecy Tavares Soares que já lecionava na faculdade há 22 anos e foi demitido hoje também falou ao ClickPB: “surpreso com a forma que nos comunicaram. Fui chamado em pleno recesso para assinar aviso prévio de demissão. Sei que agora é UNIPÊ é outra empresa, e tenho somente a lamentar. Imaginar a demissão de um patrimônio como o professor Alexandre Belo é algo surreal” completou o professor de Direito Processual.

Para Avenzoar Arruda, presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino Privado da Paraíba (Sinteenp), já está marcada o dia 18 deste mês uma assembleia com os funcionários do UNIPÊ, mas amanhã mesmo o sindicato entrará em contato com a direção da Universidade para mediar esse processador de demissão coletiva: “Nos causa estranheza quanto a forma que foram comunicados de suas demissões os trabalhadores em educação daquele centro de ensino. Amanhã mesmo o Sinteenp oficializará a mediação deste processo de demissão coletiva em pleno recesso escolar”.

Hoje, cerca de 50% dos professores do curso de Direito foram surpreendidos hoje com o aviso prévio. Outro professor demitido que pediu para não revelar seu nome na matéria, contou que, ao questionarem a forma truculenta e arbitrária das demissões, que não passaram pelo crivo das instâncias colegiadas da Universidade ouviram apenas que haverá uma "reorganização em sua base de docentes por mão de obra mais barata".

As demissões poderão atingir 50% do atual quadro de todos os cursos do Unipê.

A reportagem do ClickPB tentou contato com a professora Ana Flávia Pereira Medeiros da Fonseca, presidente do Conselho de Administração do IPÊ Educacional Ltda. As ligações foram recusadas. O Coordenador do Curdo de Direito, professor Arthur Souto recebeu nossas perguntas pelo aplicativo de WhatsApp, disse que estava em reunião e até as 19:30 ligaria para falar do assunto. Até a publicação desta matéria o professor Arthur não manifestou nenhum posicionamento sobre a demissão em massa no curso de Direito.

O grupo educacional do estado de São Paulo, Cruzeiro do Sul Educacional, que comprou 84% do Centro Universitário de João Pessoa (Unipê).

Clilson Júnior

-

Policial

Ataque a grupo de amigos em Pedras de Fogo deixa um morto e dois feridos

Paraíba

MS corta R$ 5,4 mi que seriam para Samu de 20 cidades da Paraíba
© 2018. Catolé News. Todos os direitos reservados