Investigado, Bolsonaro volta a criticar ministros do STF: 'Quem é que esses dois (Barroso e Moraes) pensam que são?'

O presidente Jair Bolsonaro voltou a fazer nesta quarta-feira ataques aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes e Luís Roberto Barroso, questionando "quem eles pensam que são". Bolsonaro também acusou Moraes de agir fora da Constituição e disse que Barroso entende de "terrorismo".

Bolsonaro é alvo de cinco inquéritos no STF — quatro deles relatados por Moraes — e de um inquérito administrativo no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), presidido por Barroso.

— Quem é que esses dois pensam que são? Quem eles pensam que são? Vão tomar medidas drásticas dessa forma, ameaçando, cassando liberdades democráticas nossas, a liberdade de expressão. Porque eles não querem assim, porque eles têm candidato. Os dois, nós sabemos, são defensores do Lula, querem o Lula presidente — disse Bolsonaro, em entrevista ao canal Gazeta Brasil.

No ano passado, Bolsonaro passou semanas fazendo diversos ataques ao STF, especialmente a Moraes e Barroso. O auge ocorreu durante uma manifestação realizada no dia 7 de setembro, quando o presidente chamou Moraes de "canalha" e disse que não iria mais cumprir as decisões dele.

Dois dias depois, no entanto, o presidente divulgou uma nota dizendo que as declarações ocorreram "no calor do momento". Antes da divulgação do texto, Bolsonaro conversou com Moraes por telefone.

Nesta quarta-feira, Bolsonaro criticou uma declaração de Moraes durante o julgamento no TSE da sua chapa nas eleições de 2018. Apesar da chapa ter sido absolvida, o ministro disse que se houver repetição do que ocorreu em 2018 nas próximas eleições, "o registro será cassado" e as pessoas que fizerem isso "irão para a cadeia".

Para Bolsonaro, isso é agir "fora das quatro linhas" da Constituição:

— Fui julgado no TSE, a chapa Bolsonaro-Mourão, no final do ano passado, e lá foi a vez do senhor Alexandre de Moraes falar claramente: “Houve, sim, fake news. Houve disparo em massa. Sabemos. No ano que vem, se tiver vamos cassar o registro e prender o candidato”. Olha, isso é jogar fora das quatro linhas. Só tenho isso a dizer a vocês.

Questionado sobre um artigo em que Barroso fala de "terroristas verbais", o presidente afirmou que o magistrado entende de "terorrismo" pode ter atuado como advogado do italiano Cesare Battisti, condeado por quatro assassinatos:

— De terrorismo ele entende. Ele defendeu o terrorista Cesare Battisti — disse, acrescentando depois: — É um direito dele defender terrorista? É um direito. Um advogado tem direito de defender qualquer pessoa, (mesmo) que seja um pedófilo. Eu não defenderia.

O GLOBO

-

CNEWS TV

Popular agride companheira depois de uma tentativa frustrada de reatar relacionamento

CNEWS TV

Homem morre após colisão frontal entre carro e caminhão na BR-230, ena manhã desta terça (25)
© 2022. Catolé News. Todos os direitos reservados